segunda-feira, 3 de agosto de 2009

INTRODUÇÃO À TEORIA DO CONHECIMENTO
(esquema de 10 tópicos para estudo)

1.O CONHECIMENTO EM DESCARTES

•Racionalismo: razão absoluta, universal, verdadeira
•Método: garantia de verdade, certeza fundamentada, unificar os conhecimentos racionalmente
•Intuição: fácil e distinta, é a concepção de um espírito puro e atento que busca o indubitável
•Dúvida metódica: duvidar sistematicamente de tudo que se considera conhecido, inclusive, da própria percepção dos sentidos
•Cogito:
- Se duvido, penso
- Se penso, existo como ser pensante (penso, logo existo)
•Idéias claras e distintas: gerais, inatas, racionais
- Exemplos:
a)Infinitude e perfeição divinas
b)Extensão e movimentos físicos
•Dualismo psicofísico:
- Âmbito físico: substância extensa (res extensa, em latim)
matéria, corpo, sentidos, sensações
- Âmbito metafísico: substância pensante (res cogitans, em latim)
alma, espírito, mente, consciência, sujeito, inteligência, pensamento
•Garantia divina: pensar em Deus como ser perfeito garante sua existência e a realidade das idéias claras e distintas

2.O CONHECIMENTO EM BACON

•Empirismo: a experiência como fonte do saber
•Reforma completa do conhecimento
•Crítica à esterilidade da escolástica aristotélica
•Novo método – ciência: observação dos fatos e generalização de leis causais por indução
•Caráter prático do conhecimento: domínio do homem sobre a natureza, saber é poder
•Crítica dos preconceitos (ídolos): generalizações indevidas, tradicionalismo, vulgarização, autoritarismo

3.O CONHECIMENTO EM LOCKE

•Psicologismo gnosiológico: crítica do inatismo
•Toda idéia provém da experiência por aprendizagem e hábito, todo conhecimento é apreendido da experiência
•A mente é uma “tábula rasa” (tábua sem inscrições, como um papel em branco) desprovida de todos os caracteres, sem quaisquer idéias inatas
•Fontes de conhecimento (das idéias):
•Sensação (experiência externa): modificação na mente por meio dos sentidos
•Reflexão (experiência interna): percepção que a alma tem de si mesma, baseada nas sensações
•Níveis de abstração:
- Idéias simples: recebidas passivamente, elementares (não-analisáveis), provenientes da sensação ou da reflexão
- Idéias complexas: idéias derivadas de idéias simples da sensação ou da reflexão, criadas mediante combinações de outras idéias
•Qualidades das idéias simples de natureza sensorial:
- Primárias (objetivas): existem no objeto, mesmo que não sejam percebidas (solidez, extensão, configuração, movimento, repouso, número)
- Secundárias(subjetivas): existem na percepção que temos do objeto (cor, som, odor, sabor)

4.O CONHECIMENTO EM HUME

•Ceticismo: Associacionismo anti-metafísico (desubstancialização da mente)
•A mente é uma qualidade secundária, fluxo de impressões e idéias, só observável através da percepção
•As impressões são o elemento básico da vida mental, fortes e vívidas
•Uma idéia é a experiência mental que temos na ausência de qualquer objeto estimulante, cópia fraca de uma ou mais impressões, representações da memória ou da imaginação
•Princípio universal do funcionamento da mente: as idéias complexas combinam-se a partir de idéias simples por associação, devido ao hábito mental que gera a crença na vinculação entre elas, hábito que surge da necessidade espiritual de ordenar a realidade
•Tipos de associação de idéias:
- Por contiguidade no tempo
- Por contiguidade no espaço
- Por semelhança ou contraste
- Por causalidade

5.O CONHECIMENTO EM KANT

•Criticismo: crítica da razão pura
- Crise da teoria do conhecimento: superar a dualidade dogmatismo x ceticismo
- Tribunal da razão: autojulgamento
- Idealismo transcendental: conhecimento a priori
- Revolução copernicana: das coisas ao conhecimento
•Conhecimento Transcendental:
- Independente da experiência sensível
- Simultâneo a qualquer uma
- Contido a priori puramente no sujeito da representação racional
- Distinto do conhecimento a posteriori
- Sujeito: condição de possibilidade da experiência
- Lógica: condição de possibilidade dos juízos
•Natureza: campo da experiência possível e seus objetos
•Faculdades:
- Razão: capacidade de conceber conceitos e idéias, a priori, ligando representações e sintetizar as categorias do entendimento
- Sensibilidade: capacidade de representar afecções dos objetos da intuição
•Entendimento: Juízos
- Analíticos: decompõe o que já havia
- Sintéticos: compõe o conhecimento por generalização
- Sintéticos a priori: universalmente necessários que ampliam o conhecimento
- Funções dos juízos:
- Quantidade
Universais
Particulares
Singulares
- Qualidade
Afirmativos
Negativos
Infinitos
•Categorias do entendimento: Substância, Causa, Necessidade, Realidade
•Sensibilidade:
- Objeto: representação determinada
- Fenômeno: representação indeterminada
- Intuição:
Empírica: gerada pela sensação que o objeto produz, cujo conteúdo é a matéria
Pura: forma condicionante do fenômeno
•Númeno: coisa-em-si, essência que não pode ser conhecida

6.O CONHECIMENTO EM COMTE

•Positivismo: positividade do conhecimento científico
•Desenvolvimento da inteligência humana: Lei dos três estados
- Teológico: causa sobrenatural, explicação mítica
- Metafísico: noções absolutas, explicações que recorrem a essências representadas por forças abstratas
- Positivo: relações invariáveis dos fatos obtidas pela observação e racionalização
•Positividade: real, certo, preciso, descritivo, determinista, ordenado, organizado.
•Necessidade causal: mesma causa→ mesmo efeito, oposto de contingente, casual
•Filosofia: sistematização das ciências, generalização dos resultados, sínteses objetivas
•Matemática: instrumento
•Ciência: saber acabado, compartimentado, que assegura desenvolvimento social e industrial
•Hierarquias:
- parte→ todo
- inferior→superior
- processo→resultado
- concreto→abstrato
•História: seqüência de estados definitivos
•Classificação das ciências:
- Orgânicas: biologia, sociologia
- Inorgânicas: física, química, astronomia
•Sociologia: ciência dominante, mais complexa e concreta
- Ordem através do progresso permanente
- Sociedade: organismo coletivo que controla os indivíduos
- Física social de inspiração biológica

7.O CONHECIMENTO EM HEGEL
•Dialética idealista:
- historicidade da razão
- Dinâmica contraditória do real
- Caráter perecível; tendência à superação
- Tese, antítese, síntese
•Vir-a-ser: processo, movimento, transformação
•Mundo: manifestação da idéia na realidade
•Idéia (tese), Natureza (alienação da idéia), Espírito (consciência de si)
•Fenomenologia do Espírito: Espírito subjetivo, Espírito objetivo, Espírito absoluto
•Verdade: resultado do desenvolvimento do Espírito
•Conhecimento:
- Abstrato: aparência (realidade dada)
- Concreto: real (descrição da gênese)
•Filosofia: crítica totalizante a posteriori, tardia, coruja de Minerva

8.O CONHECIMENTO EM MARX

•Materialismo Histórico Dialético:
- Filosofia: dialética materialista – as condições de produção da vida social se sucedem através de superações de fases pelas contradições entre forças históricas que impulsionam a dinâmica das relações sociais.
a)O movimento é inerente à matéria e assume a configuração dialética da seqüência tese, antítese e síntese
b)A matéria é de onde provém a consciência como reflexo
c)O espírito reage a suas determinações materiais
d)A ideologia é o conjunto de valores culturais cuja finalidade é iludir mascarando conflitos sociais de modo alienante para garantir a dominação de classe, perpetuando valores como verdades universais
- Ciência: materialismo histórico – conhecimento crítico objetivo da história do desenvolvimento das relações de produção em cada sociedade.
a)Análise do progresso técnico do poder humano sobre a natureza e revisão crítica das teorias da economia política
b)Objetividade do ponto de vista da classe oprimida
c)Crítica da realidade em sua dinâmica complexa de conflitos de interesses entre classes sociais, buscando desvendar os processos reais e históricos dos quais se originou a dominação de classe.
d)Conhecimento engajado numa práxis revolucionária de conscientização da classe proletária quanto às condições da exploração econômica a que ela está submetida e quanto às possibilidades de luta pela conquista da autonomia através da socialização dos meios de produção
e)Distinção entre infra-estrutura e super-estrutura
- Infra-estrutura: modo de produção econômica caracterizado pela forma de organização das relações de produção
a)modo de produção antigo
b)modo de produção feudal
c)modo de produção capitalista: divisão da sociedade em classes – proprietários e empregados, transformação da força de trabalho do operário em mercadoria vendida pelo salário, exploração da mão-de-obra produtiva através da mais-valia que aliena o trabalhador de sua produção
- Super-estrutura: conjunto de representações culturais características de uma sociedade que é derivado do modo de produção econômico e que expressa a ideologia da classe dominante.

9.O CONHECIMENTO EM HUSSERL

•Fenomenologia: análise de como se forma para nós o campo da experiência
- Propensão à objetividade, retorno às coisas
- Quantidade: ato psíquico de coligar elementos
- Intencionalidade da consciência para o fenômeno
Cognitiva
Afetiva
Prática
- Desvelamento através de perspectivas variadas
Descrição perspectivista da vivência, mundo da vida
- Superação da dicotomia sujeito-objeto
- Hermenêutica: doação de sentido e significado
•Sentido: rede de significações dos atos da consciência
•Sinal: parte do mundo físico do ser
•Símbolo: parte do mundo humano do sentido
- Não há fatos objetivos
- Epoché: suspensão de juízo, pôr entre parênteses
- Redução eidética: limitar-se às evidências imanentes
- Intuição:
Noema: de essências
Noesis: da consciência
- Regiões eidéticas: ontologias regionais
- Estrutura sintética da consciência

10.O CONHECIMENTO EM FOUCAULT
Fase Arqueológica:
- História da Loucura: descreve as condições de possibilidade de surgimento de um saber sobre a loucura, a partir das relações com os que eram considerados loucos, nos lugares de reclusão. Revela configurações heterogêneas de formações discursivas, geradas para controlá-los.
- Nascimento da Clínica: dicute o desenvolvimento da medicina clássica em relação com a história natural e o surgimento da medicina moderna em relação com a biologia, a passagem do estudo da doença como abstração ao doente como indivíduo, a passagem de uma medicina domiciliar, individual, estruturada em torno da crise para uma medicina hospitalar, a passagem do hospital como lugar de confinamento dos inúteis e excluídos para a medicalização do hospital através da disciplinarização.
- As Palavras e as Coisas: discute as condições de possibilidade de surgimento das ciências humanas na passagem da episteme clássica, desenvolvida na época do Renascimento e baseada na noção de semelhança, para a episteme moderna, desenvolvida na época do Iluminismo e baseada na noção de representação.
- A Arqueologia do Saber: discute o modo de produzir os discursos históricos a partir de suas descontinuidades e interrelações conceituais em articulação com as práticas discursivas.

2 comentários:

Anônimo disse...

Admirei seu trabalho, Ivan.
O texto está na forma mais culta da língua lusitana.
Até a próxima.

GuTo disse...

Ivan !!
Sou da turma D, do colegio Anchieta !!
Seu blgo, é o blog !

Abraçoo
Guto